Crítica

_______________________________________________________

_______________________________________________________

_______________________________________________________

_______________________________________________________

Um projecto estimulante, por Rui Branco (Notícias Sábado’267, Diário de Notícias)

_______________________________________________________

Quatro por quatro, por Nuno Catarino (Ípsilon)

_______________________________________________________

Crítica LUME, por José Carlos Fernandes (Time Out Lisboa)

_______________________________________________________

Made in Portugal, por Nuno Catarino (Ípsilon, Público)

_______________________________________________________

Fluxorama, de Afonso Pais (José Carlos Fernandes – Time Out Lisboa)

_______________________________________________________

Nirvanix, de Paula Sousa (José Carlos Fernandes – Time Out Lisboa)

_______________________________________________________

“Foi um jazz que lhes deu” – Ípsilon, 02-08-2010

No ano de 2003, no âmbito da Coimbra – Capital Nacional da Cultura, surgiu um novo festival: Jazz Ao Centro – Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra. Promovido pelo Centro Norton de Matos, uma associação de Coimbra presidida por Pedro Rocha Santos, essa primeira edição do festival foi composta por 15 concertos. Desse primeiro festival nasceu o Jazz Ao Centro Clube (JACC), conta Pedro Rocha Santos, que passou a liderar o novo projecto. “Esse festival criou uma dinâmica que fez com que se juntasse um conjunto de pessoas com a ideia de criar um clube independente. Em Abril de 2003, o JACC foi formalmente constituído.”
Desde então, o clube tem sido o responsável pelas sucessivas edições do festival Jazz Ao Centro, este ano na [nona] edição, desenvolvendo uma actividade que começou a extravasar a cidade de Coimbra.

Em 2005 o JACC aposta na criação de uma nova revista de jazz, a Jazz.pt, numa parceria com a Clean Feed (…) Mas Pedro Rocha Santos não é homem para estar parado muito tempo. Pouco depois, surge um novo projecto, o Portugal Jazz, um festival itinerante. “Apresentámos este projecto a 270 e tal municípios, o que corresponde a cerca de 90 por cento dos municípios do continente. Foi um projecto muito trabalhoso, mas que implantou definitivamente a marca JACC a nível nacional.”

Desdobrando-se em iniciativas, o clube de Coimbra dá ainda início ao festival da revista Jazz.pt. [que já conta com 3 edições]

O mais recente projecto do JACC é uma nova editora, dedicada à edição de projectos nacionais. Através do contacto com os músicos, Pedro Rocha Santos percebeu que “havia necessidade de mais uma editora, que, neste caso, tem como missão apoiar os músicos portugueses na edição dos seus trabalhos”. Surge num momento em que coexistem duas editoras, a Clean Feed e a Tone of a Pitch, mas “não visa concorrer com qualquer uma delas”.

  http://ipsilon.publico.pt/video/videos.aspx?id=634163750004544481

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s